quarta-feira, 3 de março de 2021

Bem-vindo a República Democrática do Brasil, camarada e atualização do patrimônio de FEV/2021

E agora em quem nós vamos votar para combater o esquerdismo do Bolsonaro?
Se o cara ainda copiasse o Lula, mas está copiando a Dilma, A DILMA.
Vamos mexer no preço dos combustíveis e no setor elétrico novamente, agora vai dar certo sim amiguinho.

Não que eu ache que o governo Lula foi perfeito, mas ele soube pelo menos entender a importância de ter pessoas competentes na área econômica, manter boa parte da politica financeira do FHC e surfar num ciclo de commodities. O erro foi não aproveitar o bom momento para investir em infraestrutura e diversificar a economia de modo a torná-la menos dependente de commodities. Ao invés disso foram tomadas medidas populistas como o inchaço da máquina pública por meio de concursos, criando despesas de longo prazo. Inundação do setor imobiliário com dinheiro, o que levou ao disparo do preço dos imóveis. Um amigo comprou em 2005 uma casa por R$25000, o equivalente a R$73000 hoje corrigido pelo IGPM, vai tentar compra um imóvel com isso hoje.

A primeira mexida nos combustíveis vai ser via impostos, onerando setor bancário, carros para deficientes e indústria química. Isso é bom? É ruim? Não sei, e aposto que o governo também não sabe. O preço dos combustíveis é uma variável sensível, pois tem presença em todos os setores e em várias etapas do processo produtivo. Mas sabe qual outro setor tem presença em tudo, o bancário, pois é. Mais do que a ação tomada é como essa ação é tomada. Se fosse feito de forma planejada de modo a, pelo menos em tese, trazer algum beneficio seria algo mais palatável. Feito no atropelo e no desespero, passa a pior mensagem possível a todo mundo.

Já a mexida no setor elétrico parece mais fácil de analisar. Vai ser usado para diminuir a conta de energia o dinheiro que deveria ser usado em pesquisa de melhoria de eficiência e manutenção do sistema. É como se você deixasse de fazer manutenção preventiva num carro para comprar mais combustível. No caso do carro ainda dá pra enxergar alguma lógica, pois é possível que você consiga vender a bomba pra algum otário antes dela estourar na sua mão. No caso do setor elétrico os otários somos nós do futuro quando começarem os apagões estilo Amapá.

E o que causa mais desespero ainda é que quando vem a público alguma ideia nova ela é simplesmente ruim. Paulo Guedes falou em criar um programa social com os dividendos da Petrobras. Genial, vamos atrelar um programa social ao desempenho de uma empresa, pior, uma empresa cíclica e dependente do preço do petróleo. Vai funcionar assim, no ano que a empresa tiver prejuízo as pessoas dependentes desse programa morrem de fome, fim. Genial.

Como já dizia Roberto Campos “A burrice no Brasil tem um passado glorioso e um futuro promissor.”

Não é novidade que meu dinheiro desde o começo do ano está indo integralmente para o exterior, vai em busca de oportunidades que fazem mais sentido pra mim no momento. O dólar tá caro? Sim. O problema é que quando o dólar estava a 2,50 e subiu para 3 eu achei caro e não fiz nada. Quando estava 4 e subiu pra 5 eu achei caro e não fiz nada. Não quero observar o dólar a 15 reais, achar caro e continuar sem fazer nada, observando bovinamente meu patrimônio ser conduzido para o abatedouro.

Não acho (espero) que o Brasil vai chegar na situação de uma Venezuela, nós sempre seremos a galinhona com seus voos curtos. Quem estiver agarrado com a galinha, ao final de cada voo vai se esborrachar no chão se não tiver algum para quedas para minimizar o impacto. Boa sorte pra quem fica.


Patrimônio de FEV/2021

Patrimônio = R$ 1’139’839,61
Aporte = R$ 15’741,31 (1,38% patrimônio)
Rentabilidade = -1,06%
Inflação = 1,21%
CDI = 0,16%
Rentabilidade acumulada desde dez 2017 = 35,74%
Inflação acumulada = 20,96%
CDI livre de IR acumulado = 13,53%
CDI + Inflação = 34,50%






Boa caminhada rumo à IF confrades!

3 comentários:

  1. Acredito que os tempos de dólar alto estará chegando ao fim em breve.

    Tenho uma teoria comigo que sempre que eu ver a "massa" indo em uma direção, o melhor é ir ao contrário.

    Todos agora estão indo pro lado do Dólar e exterior, é a moda da vez.

    Eu acredito que teremos novidade até o fim do ano, parece que o Congresso está alinhado com o Governo e as reformas vão sair.

    Além que pelo oque eu vi alguns economistas falando, é só o BC aumentar os juros um pouquinho que essa bizarrice do dólar acaba.. Enfim, oremos.

    ResponderExcluir
  2. O povo odeia o Lula, mas é inegável que em 2010 estava todo mundo muito satisfeito e contente com o país. O maior erro do Lula foi não ter aproveitado a janela de oportunidade para reformar esse país.

    Sobre a intervenção no setor elétrico, esse já é um setor todo fudido, temos problemas sérios de geração de energia, somos dependentes da hidrelétrica que depende de chuvas que estão abaixo da média. A decisão do governo é estúpida, e já tinhamos visto isso com o governo Dilma.

    A ideia do Paulo Guedes para usar os dividendos da Petrobras só mostra como ele está perdido, não sei o que o "mercado" ainda vê nesse sujeito.

    O dólar sempre parece caro, mas estou percebendo que quando ele tá caro na verdade ele tá é barato. Eu passei a mandar para IVVB11 e o dólar virou coadjuvante, resta saber se a alta da Selic vai derrubar o dólar

    Abraços,
    Pi

    ResponderExcluir
  3. Como já dizia Roberto Campos “A burrice no Brasil tem um passado glorioso e um futuro promissor.”

    E isso resume tudo! Estou torcendo pro próximo vôo de galinha pra tirar o grosso do meu patrimônio do Brasil

    ResponderExcluir